Pensadores Brasileiros       

Anúncios
Procure o livro dos seus pensadores favoritos na Livraria Cultura!

Add to Technorati Favorites




segunda-feira, março 03, 2014

O Gênio da Lâmpada Estatal


Era uma vez um esquerdinha que tinha ido à uma ocupação do MST no sertão árido mas acabou se perdendo de seus "compas" e indo parar em uma região miserável.

O esquerdinha tinha uma estrelinha do PT e outros 2 broches do PSOL e do PSTU (ainda não tinha conseguido um do partido da Marina Silva) mas estava tão cansado de andar que abandonou pelo caminho sua pilha de livros do Leandro Konder, Emir Sader, Marilena Chauí e revistas Caros Amigos e Carta Capital.

Quando o esquerdinha estava quase morrendo de fome e sede, de repente ele avistou a ponta de um objeto enterrado. Então ele se arrastou até o objeto e o puxou para fora, descobrindo uma garrafa com uma fumaça vermelha dentro.

O esquerdinha destampou a garrafa e de dentro saiu um gênio e um baita fedor de enxofre. Mas esse gênio não era um gênio comum. Era balofo, andava com um laptop na mão para jogar League of Legends (o laptop era um daqueles de gamers confiscado pela Receita Federal) e um carro importado com chapa branca do Ministério da Fazenda. Era um gênio estatal.

"Bem, esquerdinha," disse o gênio estatal, "Você já deve saber como eu trabalho. Você tem 4 pedidos."

"4? Não eram apenas 3???"

"É que eu sou um gênio socialista, pô! Três é coisa de burguês religioso. Além disso é o governo que está subsidiando."

"Tá bom! Eu quero ir para um buffet com muita comida e bebida."

*** PUF! ***

O esquerdinha se encontrava agora em meio ao mais lindo buffet que ele já havia visto. O gênio havia colocado o esquerdinha com a equipe de Lula no início do Fome Zero, em pleno bolsão de miséria no Piauí. O buffet era cheio de garrafas de vinho Romanée Conti custando mais de 6 mil reais e pratos para nenhuma equipe ministerial do PT botar defeito.

Então o esquerdinha, feliz, começou a cantarolar a Internacional, mas interrompeu no verso "erguei-vos famintos da terra" pois olhou em volta e viu um monte de esfomeados. Haviam muitos camponêses passando fome pois todas as fazendas onde antes havia emprego e produção haviam sido ocupadas pelo MST e não estavam produzindo mais o suficiente para comer. Aí o esquerdinha se lembrou de fazer o segundo pedido.

"Gênio estatal, eu quero ser rico, muito rico!"

*** PUF! ***

Agora, o esquerdinha se viu cercado de muitas notas de real. Umas eram impressas pela Casa da Moeda e emitidas sem lastro pelo Banco Central sob o regime de juros altos porque só assim conseguiam fazer rolagem da dívida estatal. Outras notas eram coletadas através dos mais diversos tipos de impostos e encargos sociais consistindo em quase 50% extorquidos da renda de trabalhadores e empresários.

Além disso, o esquerdinha tinha em seu poder todas as mercadorias confiscadas pela Receita Federal nas alfândegas e um monte de verbas desviadas da construção da Copa do Mundo e várias licitações e propinas de órgãos federais, governos estaduais e prefeituras petistas. Àquela altura o esquerdinha já depositava toda a sua fé no poder estatal.

Então, o esquerdinha pensou e fez logo de uma vez os dois pedidos que faltavam:

"Gênio estatal, agora eu quero ver o mundo todo colorido com o vermelho comunista e quero que as mulheres de toda a parte me procurem e necessitem de mim!"

*** PUF! ***

E ... o esquerdinha virou um absorvente íntimo.

MORAL DA ESTÓRIA: Tudo que vem do socialismo cedo ou tarde dá errado.

FONTE:  Centro de Mídia Independente do Socialismo Caviar

Marcadores: , ,



postado por PBR às      

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial







Voltar a Pensadores Brasileiros