Pensadores Brasileiros       

Anúncios
Procure o livro dos seus pensadores favoritos na Livraria Cultura!

Add to Technorati Favorites




segunda-feira, dezembro 11, 2006

Pinochet (1915 - 2006)


Grande parte do povo chileno é grato a Pinochet..
Pinochet chegou ao poder em 1973 em um golpe militar com o apoio dos Estados Unidos, que derrubou o presidente eleito, o marxista Salvador Allende. Allende se suicidou durante o bombardeio ao palácio do governo.

Durante seu regime, mais de 3 mil pessoas morreram ou desapareceram devido à violência política no Chile. Cerca de 200 mil pessoas foram para o exílio para escapar à repressão, tortura, toques de recolher e censura.

Em 1983, durante uma crise econômica que se prologava havia 2 anos, surgiu o primeiro protesto nas ruas. Em 1986, Pinochet sobreviveu à um atentado.

Por meio de um plebiscito realizado em 1988, Pinochet terminou seu regime em 1990, mas permaneceu como comandante das forças armadas e, depois, senador vitalício, segundo uma clásula constitucional acrescentada por ele.

A militância anti-Pinochet fez demonstrações violentas neste domingo, ferindo 24 policiais e deixando barricadas, detritos, fogueiras e pedras espalhadas nas ruas da capital chilena.

Mesmo assim, Pinochet é considerado como herói da pátria e teve apoio de boa parte da população por sua cruzada anti-comunista. Nas palavras de um chileno: "Pinochet foi a melhor coisa que aconteceu à esse país". Muitos velaram pelo homem que salvou o Chile do comunismo enquanto outros ou se regozijaram na sua morte, ou lamentaram que ele não tenha morrido na prisão. Os comunistas e socialistas que celebraram sua morte buscavam levar os chilenos à um caminho de servidão bem mais terrível do que Pinochet jamais poderia ter feito.

Pinochet impediu o Chile de se tornar uma outra Cuba sob Salvador Allende. O partido socialista chileno era dos mais radicais, que desejavam a revolução socialista através da violência. O golpe foi recebido com o apoio popular e havia razão para isso. O regime Pinochet pode ter cometido assassinatos mas isso não torna o golpe inicial menos legítimo.

Allende nacionalizou terras, fazendas e fábricas, instituindo uma economia controlada, tomando medidas para proibir qualquer forma de troca ou distribuição privada. Seus capangas e os guerrilheiros terroristas que Allende permitia circular chegaram mesmo a destruir as bancas e barracas das pessoas comuns. Em poucos meses já não havia comida à venda, apenas aquela que era distribuída pelo governo, que não era o bastante e as pessoas começaram a passar fome. Depois do golpe, toneladas de alimentos que haviam sido escondidos pelos partidos da Unidade Popular foram descobertos.


Assassinatos por obra de comunistas: incomparavelmente
maiores. O Chile escapou.
Houveram assassinatos e torturas realizadas por brigadas de baderneiros pró-Allende. Muitos chilenos "desaparecidos" morreram defendendo suas propriedades durante ocupações sangrentas - a "reforma agrária" ilegal e assassina de Allende. Muitas moças foram torturadas e estupradas por esses bandos criminosos - foram relatados de casos de mamilos arrancados com alicates.

Allende viajava pelo país acompanhado pela sua própria "polícia" privada (e ilegal) chamada "Grupo de Amigos del Presidente". Depois do golpe, a polícia oficial descobriu um verdadeiro arsenal no porão da residência de Allende. Allende fora financiado pela KGB (arquivos do ex-diretor da KGB Vasili Mitrokhin) e as armas foram fornecidas por Cuba: os comunistas estavam planejando um assassinato em massa dos oficiais dissidentes das Forças Armadas durante os primeiros 5 anos do governo "democrático" comunista.

Não se pode dizer que o Chile tenha decidido optar pelo comunismo pois Allende havia sido eleito com apenas 1/3 dos votos. O próprio congresso repudiou o governo de Allende e denunciava que ele estava ignorando a constituição e agindo na ilegalidade. Em 1973, o governo de Allende já tinha violado a democracia e tinha perdido toda sua legitimidade.

Pinochet transformou um país pobre e arruinado - onde o estado de direito e a propriedade privada vinham sendo erodidas durante décadas de depredação e depravação política - em um país exemplo para toda a América Latina. Os maiores beneficiários foram os mais pobres, que tiveram acesso à educação, nutrição e um padrão de vida decente, muito disso devido aos programas do regime e ao crescimento do Chile.

Muitos morreram durante o regime Pinochet, mas diante do progresso ocorrido em seu regime e o fato de que ele submeteu o fim de seu regime mediante um referendo, Pinochet merece ser colocado em uma categoria muito acima da de Fidel Castro e Saddam Hussein, que levaram seus países à bancarrota e causaram miséria indizível - e um número de assassinatos de ordens de magnitude maior.

O legado de Castro é um país falido e um regime tão hediondo que os habitantes colocam suas vidas em risco navegando águas infestadas de tubarões em botes infláveis simplesmente para escapar para aos Estados Unidos. O legado de Hussein é um país ainda mais falido e guerra civil.

O legado de Pinochet é um Chile próspero mesmo que politicamente dividido. Mas assim como no Brasil, os mesmos militantes de oposição que levaram sua violência às ruas durante o regime de exceção estão agora no congresso e em cargos do governo. Seus crimes tampouco foram levados à justiça.

Marcadores: , , , , , , , , ,



postado por PBR às      

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial







Voltar a Pensadores Brasileiros