Pensadores Brasileiros       

Anúncios
Procure o livro dos seus pensadores favoritos na Livraria Cultura!

Add to Technorati Favorites




sábado, setembro 22, 2007

Perguntas frequentes sobre o Conservadorismo - 5

5) Conservadorismo em uma era de liberalismo estabelecido


5.1) Por que os conservadores falam como se o céu estivesse prestes a desabar e como se todas as coisas boas estivessem no passado? As pessoas têm reclamado do presente durante um longo tempo mas as coisas não parecem tão ruins hoje.

Os conservadores não predizem mais desastres do que os liberais, apenas desastres diferentes. Como as outras pessoas, eles vêem ambas tendências promissoras e perigosas na situação atual. As sociedades pós-comunistas exibem as consequências desastrosas das tentativas drásticas de implantar o radicalismo pós-Iluminista. Tentativas menos enérgicas, tais como o liberalismo americano moderno, não levaram a efeitos similares tão rapidamente. Entretanto, as tendências sociais em direção à quebra de afiliações entre os indivíduos, à centralização do poder político nas mãos de elites irresponsáveis, aos conflitos sociais irreconciliáveis e ao aumento da estupidez, da brutalidade e da trivialidade na vida cotidiana sugerem que essas consequências estão chegando do mesmo jeito. Por que não nos preocuparmos com elas?


5.2) O conservadorismo não é essencialmente uma nostalgia de um passado que nunca aconteceu e que não pode ser restaurado?

Em substância, a objeção é de que os objetivos do conservadorismo não seriam nem sérios e nem atingíveis. Essa objeção fica provada falsa se no final os conservadores tiverem probabilidade de conseguirem o que querem.

O conservadorismo envolve o reconhecimento de que a comunidade moral é necessária para a integridade da vida individual e social, e que um modo de vida razoavelmente íntegro é uma necessidade prática. As tendências ao individualismo, igualitarismo e hedonismo radicais destroem a possibilidade de comunidade moral. Portanto, os conservadores acreditam que de alguma maneira as tendências atuais serão revertidas e que, em aspectos importantes, o futuro social e moral será mais semelhante ao passado do que ao presente atual. Em particular, o futuro verá menor ênfase na autonomia individual e maior na tradição moral e laços essencialistas.

O momento e a maneira pela qual essa reversão necessária ocorrerá é, obviamente, desconhecido. Certamente não poderá ser alcançada através de técnicas administrativas, o método mais aceito como sério e realista hoje em dia. Assim, a principal proposta política dos conservadores é que os aspectos do estado moderno que se opõem à reversão sejam eliminados ou abandonados. Aqueles que consideram benéficas as tendências modernas acusarão os conservadores de simples obstrucionismo. Em contraste, aqueles que vêem que as tendências atuais levam à catástrofe e que uma reversão é necessária esperam que se os conservadores não forem bem sucedidos agora, seus objetivos serão atingidos eventualmente, porém com conflito e destruição maiores até chegar lá.


5.3) Que importa essas coisas todas sobre comunidade e tradição? O que importa hoje em dia são grupos tais como profissionais liberais, gays, aposentados, grupos esses que as pessoas se filiam como indivíduos baseando-se nos seus interesses e perspectivas em vez de tradição.

Será que isso é verdadeiro no longo prazo? Quando as coisas estão boas, as pessoas pensam que podem definirem-se a si mesmas como elas bem entendem, mas uma sociedade não existirá por muito tempo se a única coisa que seus membros têm em comum é um compromisso de se auto-definir. O anseio por algo além se torna mais evidente quando os tempos exigem sacrifício. A filiação em um grupo com uma identidade desenvolvida e inculcada através da tradição se torna bem mais relevante do que as escolhas profissionais, estilos de vida ou idade. Um dos problemas de Bill Clinton como presidente foi que as pessoas o viam como um "yuppie" (meramente um jovem profissional liberal) que não morreria por nenhum ideal; e em certo ponto esse tipo de problema se torna decisivo.


5.4) Se o conservadorismo é tão bom, por que a maioria das pessoas que estudam e lidam seriamente com as questões sociais são liberais?

Os conservadores acreditam que é impossível definir e controlar os aspectos relevantes da vida social com precisão suficiente que justifique adotar uma abordagem tecnológica usando a sociedade como objeto. Consequentemente, eles rejeitam os esforços em dividir os assuntos humanos em compartimentos a serem operados por experts como parte de um plano geral para a busca de objetivos abrangentes como a igualdade e a prosperidade. Os acadêmicos e outros experts em política são definidos como tais por sua participação em tais esforços. Seria contraditório que eles não preferissem as perspectivas que lhes dão licença para agir, tais como o liberalismo do bem estar social, em vez das perspectivas conservadoras que não confiam em pessoas como eles.


5.5) A tradição não pode fazer nada a não ser endossar a maneira como as coisas têm sido feitas - e, no momento, essa maneira é o liberalismo vigente estabelecido.

Se o tradicionalismo fosse uma regra formal, é claro que ele não serviria de guia; o atual estado de uma tradição é simplesmente as práticas, comportamentos, crenças atuais da comunidade na qual a tradição se situa. A importância da tradição, no entanto, é que as regras formais são inadequadas. A tradição não é algo fechado, e nem todas as suas partes têm a mesma autoridade. É uma maneira de perceber as coisas que não são conhecidas de forma separada e nem meramente tradicionais. Alguém que aceite uma tradição religiosa, por exemplo, deve a sua lealdade não à tradição, mas a Deus, que é conhecido através da tradição. É a lealdade a algo que excede e motiva a tradição que torna possível distinguir o que é autêntico e legítimo das coisas não-essenciais e das deturpações.


5.6) Os conservadores atuais não deveriam pelo menos apoiar medidas que estão bem estabelecidas como o estado de bem estar social e a contínua expansão das leis de direitos civis?

Sim, mas apenas na medida em que elas são consistentes com as partes mais antigas e fundamentais dos arranjos sociais, tais como a família, a comunidade, os padrões morais tradicionais, e na medida em que contribuírem para o funcionamento geral do todo.

Infelizmente, as duas coisas mencionadas na pergunta falham em ambos os critérios. As leis de bem estar social e direitos civis fazem sentido apenas como parte de um sistema abrangente cuja gerência é centralizada, e portanto, adversa às relações entre as pessoas que tornam a comunidade possível, e são projetadas para reordenar a sociedade como um todo através de decretos burocráticos. É muito difícil para os conservadores aceitarem um sistema desses.


5.7) Eu fui criado como um liberal. Isso não significa que para ser conservador eu teria que continuar leal ao liberalismo?

Como é possível ser leal a um ponto de vista que não valoriza a lealdade e só pode sobreviver se for fundamentalmente rejeitado pela maioria das pessoas? Para alguém criado como liberal, a abordagem conservadora seria buscar orientação nas coisas que as pessoas com as quais ela cresceu de fato usaram como guia para coerência e estabilidade, incluindo as tradições da comunidade maior da qual a vida delas dependia. Essas coisas sempre incluem elementos fundamentalmente anti-liberais que permitem à comunidade funcionar como tal.




Traduzido do Conservatism FAQ.

Ver também:
Perguntas frequentes sobre o Conservadorismo - Parte 1
Perguntas frequentes sobre o Conservadorismo - Parte 2
Perguntas frequentes sobre o Conservadorismo - Parte 3
Perguntas frequentes sobre o Conservadorismo - Parte 4

Marcadores: , , ,



postado por PBR às      

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial







Voltar a Pensadores Brasileiros