Pensadores Brasileiros       

Anúncios
Procure o livro dos seus pensadores favoritos na Livraria Cultura!

Add to Technorati Favorites




quinta-feira, novembro 22, 2007

Diferenças entre esquerdistas, socialistas e comunistas

Se descontarmos a ignorância do comunista típico e seu uso da ideologia como pretexto para extravasar suas frustrações íntimas, percebemos que existe uma diferença entre esquerdismo, socialismo e comunismo.

O que há de comum entre eles é o fascismo. "Fascistas" é uma palavra bastante adequada aos esquerdistas. Fascista é aquele que defende o domínio do estado em tudo e é isso o que os esquerdistas pregam.

Mas o esquerdista, quando xinga alguém de "fascista", não quer saber do significado dessa palavra, ele só quer usá-la para ofender e expressar seu ódio. Pelo mau uso, as palavras acabam perdendo o poder de definir aquilo que se quer expressar e o discurso perde o sentido para os leigos.

A palavra "comunista" é outra que tem duplo sentido: tanto pode se referir ao marxismo cultural quanto àquela ideologia que prega o fim da propriedade privada e do estado. Por isso é que os leigos não entendem quando se diz que Lula é comunista. "Lula comunista??? Que absurdo!" e desconsideram o resto da mensagem, não entendendo que o que se quis dizer é que Lula é um prócer do marxismo cultural.

Existe diferença entre esquerdismo, socialismo e comunismo. Comunistas e socialistas são esquerdistas e todo comunista é socialista. Mas há uns poucos esquerdistas que não são socialistas e há vários socialistas que não são comunistas. Como? Por exemplo, um socialista fabiano não é comunista.

Para ver isso melhor basta imaginar que em uma caixa com o rótulo "esquerdismo (marxismo cultural)", dentro dela há outras caixas menores e uma dessas tem o rótulo "socialismo". E dentro da caixa socialismo, há outras caixas e uma delas com o rótulo "comunismo".

Um verdadeiro comunista deseja o fim da propriedade privada para que haja igualdade (assim eles dizem) mas também pregam o fim do estado.

São idéias contraditórias pois o fim da propriedade privada só pode ser conseguido pelo monopólio do poder de coerção e quem quer que monopolize essa coerção se torna o estado de fato - um estado perverso que em vez de garantir a liberdade e o direito de propriedade, garante o roubo e a tirania. Logo, comunismo é algo que jamais pode existir e vai ser apenas um pretexto para a tomada de poder. O comunismo é absurdo - mas há quem deseje o absurdo e não se dê conta disso.

Em vista disso, no sentido estrito da palavra, o PCB e o PC do B não são comunistas, são meramente fascistas (defendendo, por exemplo, a reestatização da Vale do Rio Doce e a ampliação das relações com regimes totalitários como os da China, Cuba, Vietnã e Coréia do Norte). Contudo, o PCB e o PC do B fazem parte do "comunismo" no sentido amplo da palavra, isto é, do marxismo cultural.

Já o socialista considera o estado como agente ideal para conseguir a igualdade. É claro que há socialistas que falam uma coisa e desejam outra, mas a intenção declarada do socialista é fazer todas as propriedades pertencerem ao estado e este daria aos cidadãos um controle bastante limitado sobre elas.

Também há os que se dizem comunistas, mas são socialistas. Se, por exemplo, Fidel Castro se diz comunista, ele está mentindo. Ele pode ser socialista e fascista, mas comunista não, pois o ditador cubano admite a existência do estado. Fidel é "comunista" somente no sentido amplo: Fidel, assim como Guevara, é um ícone do marxismo cultural.

O esquerdista é mais ou menos aquele que é "do contra" e que prega a frouxidão ou relativismo moral, ou seja, o desprezo às regras de conduta moral. Ele pode não dar a mínima para o socialismo, mas ele rouba, trapaceia, mata, é promíscuo, quer coisas para si sem dar nada em troca, diz que tudo é relativo, etc.

Exemplo? É bem possível que uma abortista não dê a mínima ou ignore completamente a igualdade que os socialistas e comunistas pregam. Também é possível que vários desses militantes da hegemonia gay não queiram o fim da propriedade.

Esses tipos de abortistas e militantes gays são esquerdistas, mas não são necessariamente socialistas e nem tampouco comunistas. Mas todos eles fazem parte do "comunismo", isto é, do marxismo cultural.

Assim, o esquerdismo é uma postura genérica de negação da moral, o socialismo é uma postura de negação da moral, porem mais direcionada contra a propriedade e o indivíduo. E o comunismo é uma postura de negação moral que dá ênfase na negação da propriedade, do indivíduo e também do estado.

O esquerdismo, o socialismo e o comunismo não têm existência própria e se definem apenas pela negação de algo que já existe. Portanto essa foi uma tentativa de delimitar coisas que são contraditórias por elas mesmas e é claro que essa não é uma explicação perfeita e leva em conta apenas alguns aspectos.

Marcadores: , , ,



postado por PBR às      

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial







Voltar a Pensadores Brasileiros